domingo, 9 de novembro de 2014

O que é, onde está e como se transmite a legionella?



O que é a legionella? A legionella é uma bactéria que vive livre no ambiente e que está presente em todos os habitats aquáticos: águas superficiais de lagos, rios, águas termais, etc.

E o que é a "legionelosis"? É uma doença que se apresenta como infeção pulmonar. Cursa como uma pneumonia com febre alta e tem tratamento: com antibióticos. Geralmente tem boa evolução - em alguns casos a pessoa afetada nem se apercebe do que realmente se trata - mas por vezes pode agravar-se.

Quais são os sintomas? Os sintomas são os mesmos da pneumonia: tosse, febre, dificuldade para respirar. Uma simples análise à urina pode confirmar se o microorganismo que provocou a infeção foi a legionella.

Como se transmite a legionella? A bactéria coloniza torres de refrigeração ou outras instalações que contenham água numa temperatura temperada e aí tende a multiplicar-se. Depois, se a bactéria se deslocar em aerossóis (gotas diminutas), pode ser inalada, chegar aos pulmões e dar inicio à doença. Não se transmite de pessoa a pessoa.

Onde está o risco? Desde o seu habitat natural, a bactéria pode colonizar os sistemas de abastecimento das cidades e entrar na rede de distribuição de água. É assim que chega a instalações que geram aerossóis: duches, torres de refrigeração, spas, jacúzis, humidificadores dos hospitais, fontes ornamentais... As instalações sujas, com água estancada, favorecem a multiplicação da bactéria.

Porque é que umas pessoas adoecem com a legionella e outras não? Há pessoas mais propensa que outras a contrair esta doença. Depende, entre outras coisas, da idade, de se sofrem doenças respiratórias ou de se fumam. Também afeta mais os homens do que as mulheres.

Há alguma coisa que se possa fazer para prevenir a legionella? Na verdade, a prevenção não é fácil, porque o contágio não se produz de pessoa a pessoa nem por ingestão direta de água contaminada, mas por inalação. O que se deve fazer é o mantimento das instalações e isso compete aos seus titulares. A autoridade competente deve fazer inspeções periódicas para comprovar que a limpeza e a desinfeção se fazem corretamente.

Ainda assim, há cuidados de prevenção que pode ter:

* Mergulhe as cabeças dos chuveiros numa solução de água com lixívia durante cerca de 30 minutos uma vez por semana.

* Evite frequentar spas, jacúzis, hidromassagens, etc, enquanto a fonte do problema não for detetada e solucionada.

* Não tome duche. Opte antes pelo banho de imersão.

* Nos termoacumuladores regule a água para uma temperatura acima dos 75º.

Adaptado de um artigo do "El País"

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...